sábado, 24 de março de 2012

39º Aniversário da União Feminina e Círculo de Oração


TEMA:
“Mulher, Deus te chamou para que nenhum mal venha sobre teu povo, nem chegue a tua geração nenhuma destruição”

NOSSA DIVISA:
“Por que como poderei ver o mal que sobrevirá ao meu povo? E como poderei ver a perdição da minha geração?”
(Ester 8.6)

A vida de Ester mostra-nos, claramente, que devemos viver não só para nós mesmos, mas também para os outros, pois somos parte do corpo de Cristo.


Uma das características marcantes do mundo atual é o egoísmo, o individualismo, o pensar única e exclusivamente em si mesmo. Por isso, a Bíblia diz-nos que, nestes tempos trabalhosos, os nossos dias, haveria “homens amantes de si mesmo” (2Tm.3.2). Com Ester, aprendemos que não podemos viver desta maneira, mas, sim, nos portarmos como sal da terra e luz do mundo, vivendo para que os outros sejam felizes e alcancem a vida eterna.


Ester tinha tudo para ser triste, amargurada e derrotada, pois perdeu pai e mãe, foi exilada a uma terra estranha e criada por um parente (primo) mais velho, Mardoqueu ou Mordecai (Et 2.5-7).


Ester só alcançou a Vitória porque tinha seu caráter moldado em Deus possuindo assim as seguintes virtudes: Sabedoria, Dedicação, Firmeza, Obediência, Fidelidade, Humildade, Santidade.


Essas virtudes de Ester mostram-nos como, antes de qualquer coisa, tratava-se de uma pessoa que buscava bem relacionar-se com o outro, com o próximo. Vivia Ester num ambiente de acirrada competição, pois todas as moças que ali se encontravam pretendiam ser a nova rainha. Eram concorrentes umas das outras e, dentro de um quadro deste, seria natural que cada uma tentasse o bem para si próprio, tentasse sobressair dentre as demais, inclusive prejudicando e eliminando concorrentes de seus caminhos. O texto bíblico é muito sucinto, mas, pela história, sabemos como eram comuns as armadilhas, as difamações, as “fofocas” num lugar como o harém real, em especial no momento em que Ester o habitou, quando se tratava de escolher a nova rainha. No entanto, Ester não se conduziu egoisticamente, não visou os seus próprios interesses, mas, sem deixar de se esforçar para alcançar o prêmio, que era o de tornar-se rainha, tanto que aprendeu todas as lições que lhe deu Hegai, jamais deixou de fazer o bem a quem estava à sua volta, alcançando graça aos olhos de todos.


O salvo deve ser uma pessoa da mesma natureza. Assim como o nosso Senhor, que andou fazendo bem (At.10.38), os servos do Senhor devem, também, fazer o bem a todos os homens. “Fazer o bem sem olhar a quem”, como diz o conhecido dito popular. Assim como nos dias de Ester, vivemos tempos de acirrada concorrência, contudo, seremos vitoriosos se moldarmos nosso caráter em Deus, com fez Ester.


Com SABEDORIA, Ester preparou uma bela estratégia em Deus para o livramento do seu povo das mãos do inimigo (Ester 5.3-4).
Precisamos buscar estratégias para resolvermos nossos problemas diários; Não devemos ser impulsivas, mais sábias no falar e proceder ouvindo sempre a Voz de Deus.


Outras virtudes que aprendemos com Ester:
DEDICAÇÃO - Mesmo sendo órfã e Judia Ester se dedicou para vencer o concurso. Ninguém pode vencer a serva de Deus, dedicada e fiel (Ester 2.5-18).
Temos que nos dedicar ao Senhor acreditando sempre e não nos importando com as circunstâncias.

FIRMEZA - Ester se manteve firme em seu objetivo de livrar seu povo, independente das consequências; Resolveu pagar o preço mesmo que isso vale-se sua vida (Ester 4.16).
A crente fiel sabe que nada poderá nos afastar do amor de Deus nem a morte nem a vida.

OBEDIÊNCIA - Mesmo sendo rainha, Ester tinha obediência e submissão a Mardoqueu (Mordecai), pois respeitava a autoridade espiritual que tinha em sua vida (Ester 2.10).
Muitas vezes quando ocupamos lugar de destaque esquecemos que Deus nos estabeleceu para que fossemos submissas e obedientes aos nossos líderes e maridos; Quando não respeitamos essa hierarquia formada por Deus pecamos e deixamos de ter a proteção de Deus.

FIDELIDADE - Ester mesmo em seu cargo de rainha não negou seu povo, preferiu se arriscar sendo fiel ao seu povo (Ester 8.6).
Muitas vezes quando estamos numa zona de conforto esquecemos as pessoas simples que muitas vezes fizeram parte de nosso crescimento de alguma forma. Temos a mania de avaliar as pessoas apenas pelos seus defeitos e esquecemos suas qualidades.

HUMILDADE - Ester podia pedir muito mais, mais pediu apenas o necessário, o mais importante; Com sua humildade alcançou o coração do rei (Ester 7.2).
Temos que ser humildes para vivermos uma plenitude com Deus; Contentarmos-nos em nossas prioridades. Muitas pessoas estão perdidas em seus sonhos e nunca se satisfazem querendo sempre mais.

SANTIDADE - Ester sabia da necessidade de se santificar para Deus entrar em ação; Entregou seus problemas a Deus e deixou Ele agir (Ester 4.16).
Queremos resolver nossos problemas sozinhos; Temos que entender que precisamos depender totalmente de Deus, buscando e se santificando a Ele para que Ele nos de a direção certa.

Ester foi um exemplo em sua época, precisamos ser exemplo em nossos dias.

Todas nós temos uma história de vida, muitas vezes de perdas, desilusões, traições, escolhas erradas etc. Precisamos tirar como exemplo a Vida de Ester que teve seu passado de perdas mais transformou seu presente em VITÓRIA.

Não podemos mudar nosso passado mais podemos transformar nosso futuro, deixando Deus conduzir nosso presente.

Sabedoria só em Deus, pois somos limitadas e não conseguimos enxergar além das dificuldades, mais se entregarmos nossas vidas a Deus, buscando fazer sua vontade, Ele nos fará enxergar além das dificuldades.

Decida agora viver uma vida dirigida totalmente por Deus, pois quando Ele conduz nossas vidas à vitória é certa independente da situação que você está vivendo.
Lembre-se que: DEUS TE CHAMOU PARA QUE NENHUM MAL VENHA SOBRE TEU POVO, NEM CHEGUE A TUA GERAÇÃO NENHUMA DESTRUIÇÃO.

Para elaboração dessa Palavra Pastoral, foram usados dois textos originais, dos seguintes autores: Pastora Flávia Rangel (IEA) e Evangelista Caramuru Afonso (AD-Belém).


Colaboração: Ir Lenilda J. S. Félix

Nenhum comentário:

Postar um comentário