segunda-feira, 12 de setembro de 2011

UMA BENÇÃO CHAMADA SOBRIEDADE

UMA BÊNÇÃO CHAMADA SOBRIEDADE


Dentre as inumeras crises que assolam a sociedade destaca-se atualmente a crise de sobriedade. Constata-se a ausencia de sobriedade em todos os setores da vida humana, inclusive no seio do povo de Deus.

Torna-se impossivel alcancar uma vida de excelencia se nao houver um lastro de sobriedade.

O vocábulo sobriedade em sua primeira acepção se relaciona com a temperança, que e a sabedoria no comer e no beber.

A sobriedade “distingue entre o que é razoável e o que é imoderado e utiliza razoavelmente seus cinco sentidos, seu tempo, seu dinheiro, seus esforços, etc., de acordo com critérios retos e verdadeiros.”(http://www.portaldafamilia.org/artigos/virt022.shtml)


Na Bíblia Sagrada ela alcança uma dimensão muito mais ampla e quer dizer comedimento, parcimônia, moderação, naturalidade, ausência de complicação, simplicidade.

A perda da sobriedade tem levado inumeras pessoas a serem espalhafatosas, ridículas, altivas, exageradas, impulsivas e em extremo vaidosas.

Ser sóbrio é um requerimento fundamental imposto aos que desejam um tipo de vida agradável aos olhos de Deus.

A Igreja do Senhor precisa ser constituida de jovens sobrios, familias sobrias e sobretudo obreiros sobrios.

Paulo, em sua epistola dedicada a Tito (2.12), menciona a indispensabiblidade de sobriedade, justiça e piedade.

Sobriedade diz respeito ao equilíbrio horizontal. Justiça corresponde ao equilíbrio vertical. Piedade é o somatório dos dois.

Sobriedade está associada a vigilância, conforme lemos em I Ts 5.6.

“A fé sem sobriedade pode se transformar em mero exibicionismo religioso. A esperança sem sobriedade pode conduzir ao fanatismo religioso, do tipo desses, por exemplo, que levantam líderes que marcam a data da volta de Jesus e hipnotizam seus seguidores. O amor sem sobriedade pode se transformar em simples filantropia, facilmente convertida em instrumento de proselitismo”.

Sobriedade no falar significa não dizer mais do que deve ser dito e principalmente falar a verdade em amor. “Aquele que fala comunica algo, revela a si mesmo e deve estar consciente do bem que faz a quem escuta. As conversas frívolas e as fofocas são evitadas para aquele que deseja crescer nesta virtude. O homem sóbriodestaca-se dos demais na natureza e no tempo do seu discurso. Fala apenas o essencial, não estende a conversa nem procura enfeitá-la com sua imaginação fértil. Considera o silêncio um dom precioso, que promove mais automaticamente a compreensão do que quem nunca pára de falar.” (rev Shalom, num. 62).


O perigo dos exageros nos relatórios e informações, Pv 27.2. Nao muito raramente nos deparamos com estudantes do primeiro ano de teologia que já mandaram fazer cartões de visitas de teólogos.

Os mais jovens esperam receber dos mais antigos um legado de sobriedade, principalmente se levarmos em conta Tt 2.2.

A sobriedade e requerida no relacionamento dos conjuges, bem no de pais e filhos, I Tm 3.11.

Espera-se dos pregadores que sejam sobrios, para nao se converterem em manipuladores de auditorios, em agitadores de auditorios e em “ astros” de shows.

Os homens de Deus, responsaveis por liderar a Obra do Senhor, precisam ser sobrios. Toda falta de sobreidade em suas palavras em seu comportamento, publico ou privado, e absolutamente indesculpavel, I Tm 3.2.

Tambem e indispensavel o exercicio da sobriedade no convivio dos Obreiros. “A sobriedade ensina a ajudar, e nunca a criticar. A respeitar, e nunca combater”.

Avivamento e o estilo ideal de vida da Igreja. Ele acontecd quando o Espirito Santo encontra liberdade para mover-se no meio do Povo de Deus. Mas em todo avivamento precisa haver sobriedade, a fim de que os excessos sejam evitados.

Nao pode haver desequilibro entre a Palavra e o Poder. Se nao houver sobriedade no uso do Poder, a igreja se tornara fanatica. A perda do equilibrio no contato com a Palavra podera introduzir o formalismo dentro da Congregacao, Pv 25.16.

Faltou sobriedade a querida Igreja que estava na cidade de Corinto, e teve de ser repreendida pelo apostolo Paulo, I Co 1.13ss.

Finalmente, deve haver sobriedade total, II Tm 4.5. Assim Deus nos permita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário