quinta-feira, 7 de julho de 2011

FALSOS PROFETAS

Existe por parte do ser humano uma expectativa real de que em algum momento todos os nossos problemas possam ser de maneira mágica solucionados, e, é aí, que dentro dos arrais evangélicos surge a velha figura do falso profeta, aproveitando da situação oportuna para exercerem cinicamente seu ofício.

O resultado é que eles profetizam sempre uma solução fácil, que tem o lazer e o prazer como fim, e isso se tornou tão popular hoje, como o era para Israel no passado, o verdadeiro profeta hoje é uma figura desprezada e perseguida, tanto quanto o foram Elias, Jeremias, João Batista e outros. Os pseudos profetas são sempre otimistas, mesmo que isso contrarie ao Senhor, enquanto os verdadeiros profetas parecem serem pessimistas e estraga prazer. Mas, a história bíblica mostrou que os verdadeiros sempre estiveram com a razão, nem sempre uma doce palavra vindo de uma doce voz é Deus falando. Esse falso otimismo que é tão popular nas igrejas contemporâneas, pode trazer condenação.

Devemos desmascarar toda língua mentirosa que traz sempre um ponto de vista otimista da vida, tendo como objetivo satisfazer seu próprio ego e louvar ao deus Mamon. Com um sorriso falso de quem parecer ter o segredo de uma vida isenta de adversidades, os falsos profetas dão a impressão de terem a solução para a problemática da vida, uma solução sempre nutrida por desafios, campanhas mirabulosas que possam envolver lucros financeiros (para eles é claro). De fato, a ganância do homem somada a má intenção do falso profeta, tem levado muitos e não poucos a se perderem no caminho.

Sejamos sabedores de que “todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus...” (Rm.8:28) e que as adversidades da vida jamais escancararão nossos ouvidos aos falsos profetas, a fim de que percamos a sensibilidade do Espírito de ouvir os verdadeiros.

O nosso consolo é que os verdadeiros profetas continuam, pelas ruas, desertos e palácios falando o que Deus mandou falar!



FONTE: solascriptura.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário