quarta-feira, 30 de setembro de 2009

"1ª CONFRATERNIZAÇÃO DA EQUIPE DE LIBERTAÇÃO DO MINISTÉRIO BOM PASTOR"

“Jesus, a Verdade que Liberta!”

“E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (João 8.32)

Aqui Jesus revela-se para o povo de Israel como o Filho do Homem, o enviado do Pai, o Filho de Deus.
A VERDADE É PODER QUE LIBERTA. Liberta nossa vida de todo engano das trevas, de todo conceito e tradição humana que aprendemos, mas que não estão de acordo com a vontade de Deus. Se quisermos ser livres, a primeira coisa que precisamos fazer é conhecer a Deus. Se ainda estamos presos, amarrados, atados, é porque não conhecemos a verdade. Conhecer a verdade não é conhecer a letra porque a letra mata. A Bíblia diz que o muito saber ensoberbece, mas também diz que a VERDADE LIBERTA.
No versículo 28 do capítulo 8 do Evangelho de João, Jesus estava falando da sua morte. Precisamos conhecer o poder da obra redentora da cruz.
“Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem, mas para nós que somos salvos é o poder de Deus...” A cruz é o poder de Deus. É a porta para o Reino. Não há Reino de Deus, sem mudança, transformação; Não há vitória sobre o pecado sem cruz. Porque a cruz fez a obra que nenhum homem pôde fazer.
Quando Jesus foi morto, Roma manda uma mensagem: quem manda e governa é Roma. Mas quando olhamos para a Cruz, a identificamos como o poder que liberta, a revelação de Deus, do Seu amor e poder, vemos nosso início e fim. A cruz sentenciou toda natureza caída de Adão e se tornou um sinal da aliança que Deus fez conosco.
A cruz é um sinal da aliança. Ela dividiu a história. Ela sempre será lembrada. A cruz foi à demonstração da unção, do poder e do Amor de Deus pela humanidade. Cristo: o Filho do Deus vivo!
Através do sacrifício do Cordeiro de Deus na cruz, Ele nos fez participantes da Sua vitória sobre a morte. "E havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz; e, tendo despojado os principados e potestades, os exibiu publicamente e deles triunfou na mesma cruz" (Cl 2.14,15). O diabo está mortalmente ferido. Paulo disse: "Ora, o último inimigo a ser destruído é a morte" (1Co 15.26). Observe que ele estava considerando este fato na perspectiva humana, porque na mente de Deus, a morte já está vencida. Nós temos a mente de Cristo, por isso consideramos o inimigo completamente derrotado.
No Calvário fomos atraídos para Jesus Cristo e incluídos na Sua morte. É maravilhoso viver "sabendo isto: que o nosso homem velho foi crucificado com ele, para que o corpo do pecado fosse desfeito, a fim de não servirmos mais ao pecado" (Rm 6.6). Jesus Cristo é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo! Ninguém mais poderia fazer o que Ele fez por nós. Ele nos deu vida, estando nós mortos em nossos delitos e pecados. Mas ao terceiro dia, segundo as Escrituras, o Leão da Tribo de Judá despertou na sepultura e liberou o seu brado de vitória, colocando os inimigos debaixo dos Seus pés. O cetro do valente foi quebrado e o jugo despedaçado para sempre! "Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão?" (1Co 15.55). O mundo foi vencido, o diabo derrotado e o corpo do pecado desfeito. PELA FÉ, PODEMOS DECLARAR A NOSSA COMPLETA LIBERTAÇÃO EM CRISTO JESUS.
Quando ressurgiu, Jesus passou 40 dias consolidando o coração dos discípulos até que subiu aos céus. Os discípulos ficaram olhando para cima e foram tocados por anjos que os despertaram: “Ei! Acordem! Parem de olhar para cima! Olhem para as multidões que vocês têm que conquistar!” Assim também hoje o Senhor nos desperta para que paremos de olhar para cima, para o vento, para as coisas banais desta vida, e olhemos para o chamado de Deus, para as milhares de vidas que precisam conhecer esse Jesus que nós conhecemos e nos libertou.Não servimos a um Deus morto, mas a um Deus vivo! Agradeça pela obra da cruz! Pelo preço pago pela sua redenção, para que você tivesse vida, alegria, paz...
QUE DEUS TE DÊ UMA SEMANA DE MUITA PAZ E VITÓRIAS!

Nenhum comentário:

Postar um comentário