segunda-feira, 18 de maio de 2009

“VENCENDO AS ADVERSIDADES EM ORAÇÃO”

FESTIVIDADE DA UNIÃO FEMININA


São muitas as adversidades que cercam a vida dos servos de Deus, o inimigo de nossas almas está a todo o momento a espreita procurando derrubar a todos que fazem a vontade do Pai e tentam contribuir para a sua Obra. Somos humanos, falhos e nestes últimos dias somente o amor de Deus e a sua misericórdia para garantir a nossa sobrevivência e salvação, e para isso devemos estar constantemente em vigilância e oração.

Hoje escrevo falando a respeito das adversidades que vem assolando o povo de Deus. O Senhor tem me levado a ver pessoas que sofreram com a indiferença, descrédito e falta de perdão. Conheci homens e mulheres de Deus que um dia estiveram em posições de “destaque” e hoje em dia estão esquecidos ou são apontados na sociedade como um mau exemplo, porque nos momentos de suas adversidades, fracassaram, tropeçaram e não encontraram intercessores ou quem os ajudasse espiritualmente, muito pelo contrário, só receberam críticas e acusações. Ainda não encontrei na Bíblia embasamento para justificar o que estas pessoas vêm passando com seus irmãos. “Ou como podes dizer a teu irmão: Irmão, deixa-me tirar o argueiro que está no teu olho, não vendo tu mesmo a trave que está no teu? Hipócrita! tira primeiro a trave do teu olho; e então verás bem para tirar o argueiro que está no olho de teu irmão” (Lc 6.42). O Evangelho do Senhor nos fala de amor a todo o tempo e não de punição ou discriminação. Em Corinto, quando Paulo fala para expulsar aqueles irmãos da igreja é porque já não havia mais esperança e eles estavam começando a corromper os demais. Só que hoje em dia, primeiramente se exclui, humilha, maltrata e só depois procuram uma forma ou maneira de conceder o perdão. Mas quem é o homem, para fazer justiça? “Como, pois, pode o homem ser justo diante de Deus, e como pode ser puro aquele que nasce da mulher?” (Jo 25.4), mas “Justo és, ó Senhor, e retos são os teus juízos” (Sl 119.137). Lembremo-nos do que diz o profeta Isaías: “Um ao outro ajudou, e ao seu irmão disse: Esforça-te” (Is 41:6).

Não que eu esteja fazendo uma apologia ao erro dentro da igreja, mas a minha compaixão vai de encontro às pessoas que cometeram erros, se arrependem e tem o temor de Deus. Não quanto àquelas que destilam o fermento dos fariseus. Obviamente, por livre e espontânea vontade devem automaticamente se afastar de seus cargos, para não oferecerem fogo estranho ao Senhor, tratar suas feridas e tapar as brechas daquilo que as fez cair, pois: “Porque sete vezes cai o justo, e se levanta; mas os ímpios são derribados pela calamidade” (Pv 24.16). Não que deva cair sete vezes, mas este número na Bíblia nos fala de perfeição, quer dizer, o justo está sujeito a cair, mas o verdadeiro Cristão vai se levantar e continuar buscando o perdão e a presença do Senhor. Obviamente o ideal é que não caia, daí vem um versículo que nos indica o nosso alvo: “mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em todo o vosso procedimento” (1 Pe 1.15).

Voltando a falar a respeito das adversidades e como vencê-las, devemos viver uma vida em constante vigilância e oração para superarmos esses momentos.

Portanto, aprecie e viva com um forte senso de que as adversidades são apenas preciosas oportunidades nos dada pelo próprio Deus a fim de nos tornarmos mais semelhantes a Ele e não para nos afastar de sua presença. Daí a razão pela qual devemos nos chegar mais próximo de Deus (através da oração) e ajudar ao nosso próximo nos momentos de suas fraquezas e não abandoná-los e criticá-los.
Se não existisse a dor, nós não poderíamos reconhecer o prazer e muito menos desfrutá-lo. Os tempos difíceis trazem à vida tanto significado quanto os tempos de refrigério. Cada obstáculo que você transpõe, faz de você uma pessoa ainda mais forte. Cada desafio que você suporta, faz com que os tempos de bonança sejam ainda mais significativamente desfrutados e valorizados.

Desafios nos tiram da mesmice, nos convidam à ação, nos mostram um caminho de crescimento. Imagine quão opaca e sem sentido seria a vida se as coisas caminhassem exatamente da maneira como você planejou. Demonstre uma nova apreciação pelos tempos de dificuldades porque eles trazem consigo grandes oportunidades.
AS ADVERSIDADES COM DEUS TORNAM-SE GRANDES OPORTUNIDADES
2 Crônicas 7.14 diz: “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra”; Com essas palavras, entendo que o segredo da nossa vitória em meio às adversidades, é a oração acompanhada de humilhação.

Quando as adversidades fizerem um alvo parecer impossível, sempre existirá alguma coisa que você poderá fazer para que ele se torne possível. É sempre necessário lembrar que Deus não nos deixou neste mundo à nossa própria sorte e aos nossos próprios cuidados. O SENHOR NOS CONVIDA A FAZER DA ORAÇÃO O PRIMEIRO RECURSO E NÃO A ULTIMA OPÇÃO.

A maneira correta de lidar com as adversidades é fugir da murmuração, confiar no Senhor e aprimorar-se na oração fervorosa e persistente. Além da edificação espiritual com a qual saímos da adversidade, nossa vitória testemunha do poder do Senhor.
Pr Marcos Eli - Pastor Presidente da IEADU

Nenhum comentário:

Postar um comentário